Topo

Visitar China – O que precisa de saber

A nossa primeira grande viagem no mundo asiático foi à China em setembro de 2019.

Foram 15 dias de experiencias e uma surpresa muito agradável. Encontrámos um país bem organizado, limpo e bastante seguro, onde voltaremos um dia.

Este primeiro artigo sobre a China serve para ajudar a responder a algumas questões e ajudar a preparar uma possível viagem.

 

 

Viajar para a China é possível todo o ano, com uma extensão de território tão vasta, podemos escolher qualquer tipo de clima. A primavera (março a maio) e o outono (setembro a início de novembro) são as melhores alturas para visitar as cidades mais procuradas, evitando o calor escaldante do verão (junho a agosto) e frio cortante do inverno (novembro a fevereiro/março).

 

 

Primeiro que tudo… o visto

O visto turístico autoriza normalmente a estadia durante 30 dias e apenas uma entrada.

Apenas é possível obter estes documentos na Embaixada da China em Lisboa. Não são aceites pedidos de visto por correio, pelo que qualquer pessoa que queira viajar à China, terá que solicitar o visto no Chinese Visa Application Service Center. Pode sempre pedir à sua agencia de viagens que trate do assunto.

O ideal é pedir o documento um mês antes da sua viagem à China, mas nunca mais do que três meses de antecedência.

 

Documentos são necessários para emitir o visto

Dependendo do objetivo da sua estadia na China, os viajantes devem apresentar uma determinada documentação para efetuar o pedido.

– Passaporte: original, válido por mais de 6 meses a partir da data de solicitação e 2 páginas em branco para o visto. Além disso, uma fotocópia da página de dados pessoais do passaporte e o seu passaporte anterior.

– Formulário de solicitação: cada viajante deverá solicitar um visto, incluindo os menores.

– Declaração da entidade patronal comprovativa da profissão timbrada, carimbada e assinada.

– Caso esteja desempregado ou trabalhe por conta própria, extrato de conta bancária, que deve ter no mínimo 1.000 € e pelo menos 100 € de saldo por cada dia que estiver na República Popular da China.

– Foto: a cores, recente, e em tamanho de passaporte (cabeça descoberta e mostrar completamente o rosto, com fundo claro e medidas 48 x 33 mm.).

– Fotocópia da reserva dos voos de ida e volta.

– Reservas de alojamento:
*Reserva do hotel que cubra pelo menos metade da estadia.
*Se visitar algum amigo na China, este deverá fornecer: a fotocópia do seu passaporte ou bilhete de identidade chinês, a carta de convite (detalhes do hóspede e do anfitrião, bem como o tipo de relação entre os dois e informação sobre a visita).

 

 

 

 

Segurança

A China é um país bastante seguro e não se preocupe em ser assaltado, dificilmente vai acontecer. As câmaras de segurança estão por todo o lado e é bastante comum ver policias pelas ruas.

Mas claro… convém ter sempre o mínimo de precauções possíveis. Carteiristas existem em qualquer ponto do globo.

Os detetores de metais e de raio-x não são exclusividade dos aeroportos, prepare-se para encontrá-las em todas as estações de metro e museus, por exemplo.

Devemos ter sempre em atenção os esquemas montados para turistas. Os chineses tentam tirar dinheiro aos turistas a todo custo, desde taxistas a alguns restaurantes com menus para estrangeiros com preços diferenciados, sem falar na rapariga super simpática e com um ótimo inglês que vai convidar para a um chá mais caro da sua vida ou para fazer compras na loja em que ganha uma bela comissão.

 

 

 

A Língua

Na China é utilizado o mandarim, sendo que poucas pessoas por lá falam o inglês.

Mesmo os profissionais de hotéis e restaurantes costumam ter dificuldade para compreender totalmente o inglês. Recomendamos que tenha sempre consigo uma boa aplicação de tradução ou que tenha apontado em caracteres chineses o que precisa.

Mas dá para aprender algumas palavras como ni hao (olá), pronuncia-se “ni-ráu” e xie xie (obrigado), pronuncia-se “xiê-xiê”. É bom utilizar essas palavras para iniciar uma conversa e depois agradecer.

 

 

Dinheiro

Também convém estar preparado para utilizar o dinheiro chinês, já que a grande maioria dos lugares só aceita cartões de crédito do próprio país. Além disso, é bastante difícil encontrar lugares que aceitam cartões de crédito estrangeiro.

Mais vale andar sempre com dinheiro, é bastante simples levantar nas caixas automáticas, já que têm sempre a opção em inglês.

 

 

E estes são os pontos mais importantes. Pode ir sem problemas, há comida para todos os gostos e o transporte público é bastante eficiente.

Tenha em atenção às restrições de Internet. Sites de redes sociais, em especial as americanas, são restritos e proibidos na China. É o caso do Facebook, Twitter, Youtube e de algumas ferramentas do Google. É possível contornar este bloqueio através de uma boa VPN, mas contem com uma eficácia de 60-80%.

Se for para Hong Kong, Macau ou Taiwan, não se preocupe. Apesar de fazerem parte da China, a administração desses lugares é diferente e o acesso é normal.

 

 

Boas viagens!

 

 

O Viajante

Não sou jornalista e muito menos escritor, sou curioso e gosto de partilhar as minhas experiências. Este é o local ideal de partilha de um casal curioso, que adora viajar, para perto ou longe, o que interessa é ir!

Sem Comentários

Deixe o seu comentário

65 + = 72